O Uruguai além dos assados e dos Tannat

Nossa viagem ao Uruguai aconteceu em Abril de 2015. Fomos com um casal de amigos, já programados para visitar algumas vinícolas. Ficamos 4 noites hospedados em Montevidéu e 1 noite em Punta del Este.

Visitar o Uruguai é garantia de comer e beber bem. Das parrillas uruguaias saem assados de primeira, mas não só de carnes vive a culinária local. Os pescados e os frutos do mar são muito consumidos e apreciados.

A produção de vinhos no Uruguai é pequena e muito voltada para o comércio interno. Apenas 3% da produção se destina a exportação, sendo o Brasil um dos destinos mais frequentes do vinho uruguaio. São poucos produtores de maior expressão, mas há muita coisa boa sendo produzida. Os vinhos uruguaios vão muito além da emblemática Tannat.

A Tannat é uma cepa francesa originária da região de Madiran, terra da versão francesa da feijoada, o Cassoulet. Sem tanto prestígio na França, foi no Uruguai que a Tannat ganhou fama, gerando vinhos marcantes, opulentos e com alta concentração de taninos. São pares perfeitos para os assados de vaca e de cordeiro. Mas, como veremos a seguir, o vinho uruguaio vai muito além do Tannat.

Estivemos com carro alugado durante toda nossa estadia. Com planos de visitar Punta del Este e Colônia del Sacramento, ter um carro à disposição foi providencial. Montevidéu não tem metrô, mas é possível se locomover usando o transporte público (ônibus) ou táxis. Exploramos toda a cidade de Montevidéu por carro e não tivemos grandes problemas.

Passamos a primeira noite em Montevidéu, para seguir no dia seguinte para Punta del Este. Nos hospedamos no Hotel Regency Golf em Punta Carretas, bairro agradável e com muitas opções de comércio, bares e restaurantes. Em Punta del Este, nossa estadia foi no Yoo apartaments, um flat com pequenos apartamentos muito bem equipados e muito luxuosos. Altamente recomendado.

Nos 5 dias em que estivemos em solo uruguaio tivemos a oportunidade de conhecer vários restaurantes que serão descritos a seguir:

Montevidéu

El Palenque Montevideo

Talvez o mais conhecido dos turistas, é também o maior e mais imponente restaurante do Mercado del Puerto. O ambiente é agradável e as carnes são boas, mas é turístico demais. O atendimento é fraco e o preço alto. Não figura na minha lista de melhores do Uruguai.

IMG_5946
Assado de Tira – El Palenque Montevideo

La Pulperia

Bastante frequentado por nativos, foi uma das gratas surpresas da viagem. O ambiente é simples, estilo boteco, os vinhos são servidos em copos comuns e cartões não são aceitos para pagamento. Mesmo assim vale a pena. Da Parrilla no interior do pequeno estabelecimento saem assados muito saborosos. A própria Parrilla já é uma atração à parte.

IMG_6198
Parrilla do La Pulperia
Pellicer Parrilla Gourmet

Localizado no interior do mercado agrícola, é um dos únicos restaurantes dali que fogem do estilo fast food. Logo na porta há um convidativo cordeiro sendo assado sobre brasas, mas a experiência foi decepcionante. Garçons pouco atenciosos, poucas opções de vinhos (muitos do cardápio não estavam disponíveis) e comida de pouco sabor.

IMG_6113
O Cordeiro assado na entrada do Pellicer
La Perdiz

Também um dos preferidos dos locais, o La Perdiz é uma ótima opção de Parrilla. Localizado em Punta Carretas, tem mesas na calçada e um ambiente bastante charmoso. A comida é excelente, com muitas opções de massas.

IMG_6319

Café Bar Tabaré

Uma das casas mais tradicionais de Montevidéu, esse bar / restaurante foi aberto em 1919. Estaria para a capital uruguaia como o Café Tortoni está para Buenos Aires, mas numa verão bem reduzida.. Tem decoração retrô, remetendo à época da inauguração. A comida é excelente, com opções de carnes, frutos do mar, massas e risotos. Um de nossos restaurantes preferidos no Uruguai.

IMG_6326

IMG_6323
Mariscos com arroz negro do Bar Tabaré
IMG_6324

Ricci

Restaurante italiano em Pocitos bem recomendado pelo TripAdvisor. Não tivemos sorte. O spaghetti com frutos do mar estava fora do ponto e com aspecto não muito atraente. Decepcionante.

Em Punta del Este tivemos algumas das melhores experiências gastronômicas no Uruguai:

Parador La Huella

Eleito o 17º restaurante da América Latina pela crítica especializada, o Parador La Huella tem uma atmosfera agradável e relaxante na Playa Brava de José Ignácio, pequena cidade dos arredores de Punta del Este. Deck de madeira, estilo de cabana de praia e o visual e brisa do mar contribuem para a criação de um ambiente bucólico.

A cozinha, como não poderia ser diferente, é especializada em pescados e frutos do mar. Tudo muito fresco e com sabor incrível. O atendimento é bastante atencioso e há boas opções de vinhos na carta. Ali tivemos nossa melhor refeição em solo uruguaio.

IMG_5981

El Palenque Punta del Este

Bem mais requintado e imponente que a matriz de Montevidéu, o El Palanque de Punta nos agradou bastante. O atendimento foi muito mais atencioso, até porque a cidade estava vazia. As carnes da parrilla, assim como os frutos do mar, são de ótima qualidade. Destaque para o carré de cordeiro  (French Rack para os uruguaios).

 

 

Visitamos também duas vinícolas, ambas com restaurantes, nas proximidades de Montevidéu. Os principais produtores uruguaios se localizam a poucos quilômetros da capital, nas denominações de Canelones e de Montevideo. Isso faz com que o Uruguai, juntamente com o Chile, seja o país que permite passeios vinícolas com maior facilidade aos visitantes das capitais sul-americanas.

Na opinião do blog, há quatro vinícolas que se destacam no Uruguai, tanto pela qualidade de seus vinhos quanto pela diversidade. São elas: Bodegas Bouza, Bodegas Carrau, Establecimiento Juanicó e Pisano. Tínhamos o interesse em visitá-las todas, mas não foi possível.

A Pisano tem a política de não receber visitas e nem respondeu nosso email. Mantivemos contato com a Bodegas Carrau, mas a ida a Colônia del Sacramento acabou frustrando nossa visita. Com agendamento prévio e disponibilidade de tempo, fomos recebidos nas outras duas para visita às instalações, degustação e almoço.

Bodegas Bouza

A menos de 15 km do Centro de Montevidéu, essa é sem dúvida a bodega uruguaia de mais fácil acesso. Após o agendamento, o próprio staff indica as melhores formas de chegar, seja de carro, ônibus, táxi ou remís (motorista contratado).

A Bouza é uma bodega de pequeno porte e de muito prestígio, talvez a mais conhecida dos brasileiros. Tem a particularidade de vinificar as cepas Albariño e Tempranillo, pouco usuais no Uruguai, e que geram vinhos de muita expressão. Também fazem cortes inusitados e de muita qualidade.

Captura de Tela 2016-08-03 às 16.09.18

Os destaques entre os vinhos produzidos:

Bouza Albariño

um vinho emblemático da vinícola, é produzido com a Albariño (ou Alvarinho), casta branca originária da região espanhola da Galícia e das regiões de Moução e Melgaço em Portugal. Vinho de aromas bastante cítricos e de muito frescor, é um par perfeito para pratos à base de frutos do mar. É vendido a um preço bastante razoável na vinícola: aproximadamente 460 pesos uruguaios.

Cocó

um inusitado corte de 65% de Albariño e 35% de Chardonnay de baixíssima produção (cerca de 1000 garrafas/ano) de bom frescor e maior estrutura. A limitada produção é responsável pelo preço pouco convidativo.

Linha Parcela Única

Essa é a linha Single Vineyard da Bodega, o que corresponde a vinhos produzidos com uvas provenientes do mesmo vinhedo. A linha traz varietais das uvas Tannat, Merlot e Tempranillo identificados com a letra e a numeração do lote correspondente aos seus vinhedos (exs. Merlot B9, Tempranillo A18 e Tannat A6). Todos com muita tipicidade e potência. O Merlot é, em nosso opinião, o melhor já provado do Uruguai e o mais interessante da linha.

Monte Vide Eu

Um corte de Tannat (55%), Merlot (23%) e Tempranillo (22%) que chama a atenção pela elegância e volume gustativo. Recebeu 92 pontos de Robert Parker na safra 2012. Um dos grandes vinhos uruguaios.

IMG_6019IMG_6020IMG_6026IMG_6029DSCN1800

O restaurante da Bouza também é considerado um dos melhores do Uruguai. Após visita e degustação provamos ótimos assados de costeleta de cordeiro e Ancho.

 

Establecimiento Juanicó – Família Deicas

Vinícola antiga e de grande porte localizada em Canelones, produz duas linhas distintas de vinhos a Don Pascoal e a Familia Deicas. A primeira linha compreende vinhos mais simples e produzidos em maior escala,  visando o mercado varejista interno.

A linha Familia Deicas é formada por duas categorias de vinho: os Atlantic Sur e a linha Premium. A linha Atlantic Sur é de vinhos varietais de nível intermediário, enquanto que a Premium é de alta gama e limitada produção.

Chegamos cedo à Bodega para uma visita programada, seguida de degustação e almoço. Tudo é acertado previamente na forma de pacote, dependendo da categoria de vinhos a serem degustados. Pode-se optar por visita e degustação com ou sem almoço.

A visita é feita de forma individualizada, o que torna a experiência muito mais rica e proveitosa. As instalações centenárias e a beleza da bodega garantem bons momentos ao visitante. Ali, um dia, já houve produção de Cognac, inclusive com a sua devida denominação de origem. Segundo nossa anfitriã, a bodega recebeu a denominação como pagamento de uma dívida do governo francês.

IMG_6115IMG_6065IMG_6068IMG_6080IMG_6136IMG_6142

Optamos pela visita e degustação Família Deicas (linha premium) com almoço incluído. O preço é alto (2750 pesos uruguaios por pessoa) e inclui os vinhos degustados à vontade durante todo o almoço. Mas a comida é mais do que decepcionante. Um menu único com quiche de entrada, um corte de carne dura, seca e sem gosto e torta de pêssegos de sobremesa. Tudo fora do ponto e sem sabor. Almoço totalmente dispensável.

Se o almoço era ruim, os vinhos eram deslumbrantes. Degustamos cinco vinhos da linha premium:

Castellar Extra Brut Reserva

Um Blanc de Noir (espumante derivado somente com uvas Pinot Noir) produzido pelo método champenoise, de muita qualidade , fino pérlage e muito frescor. Boa pedida para iniciar a prova.

Preludio Barrel Select Blanco

Um assemblage de uvas brancas de muito estrutura e personalidade, produzido somente em grandes safras. O corte é variável de safra para safra, podendo conter uvas como Chardonnay, Viognier e Pinot Gris.

Preludio Barrel Select Tinto Lote 92

Um dos ícones da Bodega, esse assemblage se destaca pela elegância e persistência. Um vinho longevo e equilibrado. O blend é de Merlot (52%), Tannat (23%), Cabernet Sauvignon (11%), Cabernet Franc (7%) e Petit Verdot (4%)

Massimo Deicas

Um Tannat 100% de muita potência e robustez. Um desses vinhos de se “mastigar”, de tão opulento. Certamente um dos grandes Tannats uruguaios e que deve suportar longo tempo de guarda.

Familia Deicas Licor de Tannat

Para fechar com chave de ouro, um delicioso fortificado produzido de uvas Tannat, seguindo os mesmos princípios para a produção dos vinhos do Porto Vintage. Excelente vinho para sobremesas.

 

IMG_6098IMG_6096IMG_6097

Muitas vezes relegado a um segundo plano no turismo sul americano, o Uruguai foi uma surpresa bastante agradável. Ótimas opções de passeios a curtas distâncias, povo hospitaleiro e rica gastronomia, esses são alguns dos fatores que fazem do Uruguai uma ótima opção de viagem para a exploração de sua gastronomia e vitivinicultura. Se enganam muito os que pensam que a enogastronomia uruguaia se limita a Parrillas e Tannat.

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s